Arquivo da tag: psicologia

Dez razões porque a arteterapia pode ajudar você

 

Auto retrato

(Ten ways art therapy can work for you, por Philip Reed. Publicado originalmente em http://rcasa.wordpress.com/2011/08/18/ten-ways-art-therapy-can-work-for-you/) Tradução: Angelica Rente

A arteterapia é um assunto muito interessante a ser abordado, pois há um enorme desconhecimento em relação ao que ela é e a quem  pode auxiliar. Você não precisa ser um artista, nem uma criança que sofreu um grande trauma, como em casos que vemos frequentemente na TV.

A arteterapia é para todos e oferece uma variedade de benefícios, focados na necessidade e nas questões de cada pessoa. Abaixo estão as dez principais razões que farão com que você considere a arteterapia como uma ferramenta válida para a manutenção da sua saúde mental, física e emocional.

  1. A arteterapia permite que as pessoas representem visualmente os seus sentimentos, o que pode auxiliá-las a encará-los e trabalhar com eles.
  2. Oferecendo um ambiente acolhedor, a arteterapia pode ajudar a ancorar as pessoas às suas realidades, enfatizando o momento presente.
  3. Ela pode ajudar a aliviar o estresse que algumas pessoas sentem quando tentam falar sobre seus sentimentos, permitindo que elas os expressem e lidem com eles.
  4. A arteterapia pode ser adaptada a qualquer pessoa, usando um vasto repertório de técnicas, incluindo argila, pintura, desenho, etc., o que a torna extremamente versátil.
  5. A expressão criativa, mesmo para quem não esteja experimentando dificuldades pessoais, pode ser muito recompensadora, inspiradora e purificadora.
  6. Não existe “certo” ou “errado” na arteterapia. Você desenha, pinta, esculpe ou projeta aquilo que você sente.
  7. Largamente reconhecida por seus benefícios, a arteterapia é atualmente aplicada em vários campos, incluindo saúde mental, reabilitação, situações médicas ou educacionais, e como meio de comunicação na vida cotidiana.
  8. Em um contexto de reabilitação, a arteterapia pode melhorar muita a coordenação viso-motora, a consciência corporal, o equilíbrio e o controle do corpo.
  9. Quando utilizada com crianças com transtornos comportamentais, a arteterapia pode ser um método de tratamento não invasivo e livre de medicações.
  10. A arteterapia pode ser integrada facilmente na vida cotidiana e é, na verdade, praticada por todos diariamente, sem que se tenha consciência disso.

Devido à sua flexibilidade, versatilidade e acessibilidade, a arteterapia é uma ferramenta incrível que pode ser utilizada por pessoas em todos os momentos da vida, e pode realmente proporcionar saúde mental, física e emocional.

Anúncios

III Congresso Internacional de Geobiologia Casa Saudável e Sustentável

Participantes da organização do Congresso

No último feriado eu participei do Congresso, que aconteceu na Universidade Anhembi-Morumbi unidade V Olimpia,  como palestrante e auxiliando na organização. A arquiteta Carla Malieno Gomes (www.carlamago.com.br/blog) esteve lá também, e escreveu esse artigo que explica um pouco de tudo o que aconteceu. Obrigada por disponibilizá-lo para que eu o publicasse aqui, Carla!

O III Congresso Internacional de Geobiologia – Casa Saudável e Sustentável aconteceu dias 15,16 e 17 de novembro, em São Paulo e foi uma vivência maravilhosa e inesquecível !

O tema sobre sustentabilidade foi bastante explorado, levando em conta as diversas perspectivas da realidade, com fatores que envolvem emocional, criatividade, estética, valores, identidade, espiritualidade e outros, com uma abordagem mais integral, como palestrou o psicólogo Celso Nogueira.

O arquiteto André Buarque falou da importância de levar consciência ambiental ao estudante de arquitetura, além de outros temas levantados também por Frank Siciliano, que mostrou exemplos de projetos construídos por ele, que a partir do design, proporcionam melhor ventilação e iluminação, bem como a escolha dos materiais. A arquiteta Loredana Albieri exemplificou como a Bioarquitetura funciona na Itália e nos outros paises da Europa e Peter Van Lenger, com seus “divórcios” com supermercado, farmácia e casas de material de construção, mostrou que em Tibá e em outros locais, a consciência ambiental é vivida de maneira plena.Robert Steller explanou sobre soluções para pontos que geram campos elétricos e eletromagnéticos e tivemos pesquisas realizadas pela bióloga Mônica Louvison que comprovam o efeito negativo dessas ondas negativas e seus efeitos em nossa saúde.

Outro ponto abordado foi o diferencial de se oferecer a saúde e o bem estar como serviços agregados na arquitetura, como explanou tão bem a arquiteta Aline Mendes e para que, todo o benefício que o Feng Shui e a Geobiologia oferecem não pareça uma ilusão para alguns descrentes, trabalhos científicos foram apresentados, comprovando como a psicologia ambiental pode melhorar o habitar, conforme palestrou a arquiteta e psicóloga Angelica Rente e respectivamente comprovações para um ambiente mais produtivo conforme pesquisa do arquiteto Ormy Hütner Júnior.

O arquiteto Welton Santos lembrou a importância da humildade, no resgate da criança interior curada, para despertar o auto amor e consequentemente poder trabalhar para um bem maior, o nosso Planeta.

Carlos Solano começou sua palestra com um lindo poema e desenvolveu o tema sobre as traduções da Casa Natural e seus ensinamentos para purificar e abençoar o ambiente … emocionante !!!

Toni Backes falou sobre o paisagismo regenerativo para celebrar a vida, através do acaso projetado, contando com espécies já existentes no local, as que nascem espontaneamente e as novas a serem implantadas, levando em conta a biodiversidade … e falando em plantas, a terapeuta ambiental Sandra Siciliano conduziu uma meditação maravilhosa, onde todos puderam sentir-se árvore, conectando-se com a terra, sentindo a seiva e sintonizando com o simbolismo da imagem da árvore que cada um visualizou. A minha foi uma jabuticabeira que representa a alegria e o resgate da criança interior … nossa, quanta sintonia !!! … recebi duas sementes de árvore para plantar codificadas de alegria … quantos presentes !!! … além de todos que já citei, ainda ganhamos : caneca ( para evitar usar copo plástico nos coffees ), essências para ambientes, apresentações musicais belíssimas como : Geosound, Citara e Quinteto de cordas, mesa redonda sobre sustentabilidade com os palestrantes e com o paisagista convidado Raul Cânovas e Marcelus Oliveira, dança circular, novos amigos e um cerimonial do plantio de uma árvore com a intenção anotada no papel do que desejamos para o nosso Planeta … lindo demais !!!

Gratidão a querida Selma Luiza Lopes, a toda equipe da organização do evento, a todos os palestrantes, mas principalmente ao Allan Lopes por suas palestras com ensinamentos claros sobre o viver saudável, mas quero dar ênfase aqui pela sua iniciativa e determinação no Bem, no Belo e na Luz, no caminho da Unidade.

O III Congresso Internacional de Geobiologia Casa Saudável e Sustentável foi realizado pelo IBG-Instituto Brasileiro de Geobiologia.

Oficina de Danças Circulares no IV Fórum Paulista de Arteterapia

Em 20 de outubro de 2012 a Associação Paulista de Arteterapia promoveu o IV Fórum Paulista de Arteterapia, que aconteceu na Universidade de Mogi das Cruzes. Nessa ocasião, a Dag Babo e eu apresentamos a oficina “Estrelas Nascidas do Caos: danças circulares como recurso para ampliação de awareness”, que trata das danças circulares na abordagem gestáltica.

Este trabalho teve origem em uma investigação sobre a utilização das Danças Circulares como instrumentos de aquisição de awareness e flexibilização de fronteiras de contato. Conceito central da Gestalt-terapia, awareness define um estado de consciência total de si e do meio e atenção implicada. As fronteiras de contato, pela mesma abordagem, definem como se dão as trocas entre o mundo interior e o meio externo. A hipótese levantada foi a de que as Danças atuam na tomada de consciência, na flexibilização das fronteiras de contato e consequente melhoria da qualidade de contato e no aumento da awareness, assim como no aperfeiçoamento das relações intra e interpessoais. A oficina vivencial proposta visou apresentar de que forma as Danças Circulares atuam, e de que forma elas estão relacionadas aos conceitos fundantes da Gestalt-terapia, podendo, portanto, fazer parte integrante do repertório de técnicas expressivas no contexto terapêutico.

VIII Jornada Paulista de Gestalt

No dia 22 de setembro de 2012 apresentamos uma oficina sobre as danças circulares na abordagem gestáltica na VIII Jornada Paulista de Gestalt. O título da oficina foi “Estrelas Nascidas do Caos: danças circulares como recurso para aquisição de awareness”.

Conceito central da Gestalt-terapia, awareness refere-se a um estado de consciência total de si e do meio e atenção implicada.  As Danças Circulares atuam na tomada de consciência, na flexibilização das fronteiras de contato e consequente melhoria da qualidade de contato e no aumento da awareness, assim como no aperfeiçoamento das relações intra e interpessoais. A oficina vivencial apresentada visou mostrar de que forma as Danças Circulares atuam e de que forma elas estão relacionadas aos conceitos fundantes da Gestalt-terapia, podendo, portanto, fazer parte integrante do repertório de técnicas expressivas no contexto terapêutico.

Imagem

Técnicas Artísticas Aplicadas ao Contexto Terapêutico

Existem várias técnicas artísticas que podem ser utilizadas no trabalho terapêutico, tanto na arteterapia como na terapia ocupacional e na psicopedagogia, no atendimento em atelier ou consultório, assim como em instituições como creches, orfanatos e asilos. Esse curso visa familiarizar os profissionais dessas áreas com algumas dessas técnicas, explorando suas possibilidades terapêuticas e os contextos em que podem ser utilizadas.

O curso está estruturado em seis módulos de dois encontros cada, que podem ser cursados de forma independente: técnicas em papel, técnicas de desenho e pintura, técnicas de modelagem, técnicas em tecido e técnica mista. Ao final de cada módulo o participante terá feito uma obra utilizando as técnicas aprendidas.

Público-alvo: Psicólogos, arte terapeutas, psicopedagogos, terapeutas ocupacionais, gerontólogos, educadores, monitores de oficinas e todos aqueles profissionais interessados nas possibilidades terapêuticas da arte.

Duração de cada módulo: 2 encontros aos sábados, das 9h00 às 13h00.

Investimento: R$180,00 (que podem ser pagos em 2 parcelas de R$90,00) por módulo de duas aulas, com todo o material incluído,   e você levará as peças que produzir. Descontos para quem fizer dois ou mais módulos.

Inscrições: Para inscrever-se, preencha o formulário abaixo e clique em “Enviar”. Você receberá instruções para o pagamento da inscrição no endereço de email cadastrado. VAGAS LIMITADAS, GRUPOS REDUZIDOS.

Facilitadora: Maria Angelica Rente , psicóloga especializada em arte terapia, arquiteta, artista plástica e arte-educadora.

CONSULTE NOVAS TURMAS E DATAS!

CONTEÚDO DOS MÓDULOS

1-Técnicas em papel I: trabalhos em colagem e decoupage. Cada participante fará uma caixa de madeira e um livro alterado.

2-Técnicas em papel II: fotografia terapêutica e noções de encadernação artística. Cada participante fará um álbum de fotografias.

3-Técnicas de desenho e pintura: utilização dos materiais: lápis, grafite, carvão, aquarela, têmpera, acrílica, óleo, etc. Elaboração de tintas naturais e artesanais – tela e papel.

4-Técnicas de modelagem: elaboração de massas caseiras para modelagem. Modelagem em argila – peças em argila e massa caseira.

5-Técnicas em tecido: aplicação com e sem costura, patchwork, noções de bordado – boneca.

6-Técnica mista: aplicações das técnicas anteriores, assemblage, utilização de objetos e sucata – self-box.

PREENCHA O FORMULÁRIO DE INSCRIÇÃO:

A Influência da Filosofia Dialógica de Martin Buber na Gestalt-terapia

Desenvolvida por Frederick (Fritz) Perls (Berlim, Alemanha, 1893 – Chicago, EUA, 1970) e seus colaboradores, notadamente Laura Perls, Ralph Hefferline e Paul Goodman, a gestalt-terapia é uma abordagem humanista, de matriz fenomenológico-existencial, que sofreu influências de diversos pensamentos e escolas filosóficas. As principais delas são: a Psicologia da Gestalt, baseada nos trabalhos de Wertheimer, Koffka e Kohler; a Teoria de Campo de Kurt Lewin; a Teoria Global de Kurt Goldstein; o Holismo de Smuts; e as filosofias orientais, como o zen-budismo e o taoísmo, além da filosofia dialógica de Martin Buber (GINGER, 1995; KIYAN, 2001; KIYAN, 2006; KIYAN, 2009; RODRIGUES, 2009; RIBEIRO, 1985; WULF, 1996).
A articulação com a filosofia dialógica buberiana ocorreu posteriormente à morte de Perls, porém a influência de Buber já pode ser sentida no decorrer de sua obra (KIYAN, 2009).  O filósofo e teólogo judeu Martin Buber (1878-1965) considera que há duas modalidades de relacionamento com o mundo e, consequentemente, com as outras pessoas. A primeira é o que ele chama de Eu-Isso, na qual existe uma relação de utilidade onde o Isso é objeto de conhecimento e de experiência; é objeto, portanto, da consciência expressa pelo Eu. A outra modalidade é a Eu-Tu que, para ele, é onde ocorre uma verdadeira relação, na qual duas consciências co-participam do mundo e se encontram. Para Von Zuben (2001, p. 34):

O Eu se torna Eu em virtude do Tu. Isto não significa que devo a ele o meu lugar. Eu lhe devo a minha relação a ele. Ele é meu Tu somente na relação, pois, fora dela, ele não existe, assim como o Eu não existe senão na relação.

Sabendo que a gestalt-terapia é uma abordagem fundamentalmente fenomenológica e dialógica, fica clara a influência de Buber na obra gestáltica, já que ela considera que somos seres relacionais, constituídos a partir da relação com o outro e com o mundo.  Um contato Eu-Isso é possível não só entre um ser e um objeto, mas também entre dois seres. Na verdade, essa é a modalidade de relacionamento mais presente no cotidiano, mas é apenas a relação Eu-Tu que oferece possibilidades de realização humana a ambos os envolvidos. A relação autêntica Eu-Tu fundamenta-se em uma postura dialógica, na qual não existe uma exigência de concordância total, mas sim uma atitude de aceitação e compartilhamento. Ainda que com seu fundo existencialista e sua crença na liberdade e na solidão fundamentais do ser humano, a gestalt-terapia admite a possibilidade do contato, num momento de encontro verdadeiro:

O seu território, só você pode percorrer; não há como alguém sentir os sentimentos do outro, mas isso não significa que esse sentimento não possa ser compartilhado, dividido, de modo que um território possa tocar no outro, dois mundos possam realmente se comunicar (RODRIGUES, 2009, p. 145).

Cada indivíduo em relação é uma força que atua no campo vivencial do outro, assim como tem seu campo vivencial alterado por ele. (RODRIGUES, 2009). Desta forma, ocorre um processo de desvelamento recíproco: enquanto um Eu se revela a um Tu, simultaneamente se vê revelado para si próprio. O self gestáltico é, então, um processo, já que se refere ao ser-no-mundo, sempre dinâmico, sempre em relação, sempre agindo sobre o meio e o transformando, enquanto transforma a si mesmo.

(Trecho: BABO, Dagmar Ribeiro; BASSO, Maria Angelica de Melo Rente. Estrelas nascidas do caos: danças circulares como recurso para aquisição de awareness em adolescentes. TFC. São Paulo: Universidade São Marcos, 2011).
Referências
GINGER, Serge; GINGER, Anne. Gestalt, uma terapia do contato. São Paulo: Summus, 1995.
KIYAN, Ana Maria M. (org) Arte como espelho: experimentos em arteterapia gestáltica. São Paulo: Altana, 2006.
______ E a gestalt emerge: vida e obra de Frederick Perls. São Paulo: Altana, 2001.
______ O gosto do experimento: possibilidades clínicas em Gestalt-terapia. São Paulo: Altana, 2009.
RIBEIRO, Jorge Ponciano. Gestalt-terapia: refazendo um caminho. São Paulo: Summus, 1985.
RODRIGUES, Hugo Elídio. Introdução à gestalt-terapia: conversando sobre os fundamentos da abordagem gestáltica. Petrópolis: Vozes, 2009.
VON ZUBEN, Newton A. Eu e Tu, de uma ontologia da relação a uma antropologia do inter-humano. In: BUBER, Martin. Eu e Tu. São Paulo: Centauro, 2001. pp 29-51.
WULF, Rosemary. The historical roots of gestalt therapy theory. Gestalt Dialogue: Newsletter fo the Integrative Gestalt Centre. New Zealand, 1996.

Olá!

Sou Maria Angelica Rente,  psicóloga especialista em arte terapia e especializanda em Gestalt-terapia, professora universitária, arquiteta , arte-educadora e focalizadora de Danças Circulares, apaixonada pela arte em suas mais diferentes manifestações. Aqui você poderá conhecer melhor o meu trabalho, além de ter informações atualizadas sobre Psicologia, Gestalt-terapia, Arte terapia e Danças Circulares, assim como sobre eventos e cursos nestas áreas. Convido você a passear pelas páginas, onde encontrará textos, fotos e sugestões de leitura.

Se você é uma pessoa que deseja conhecer-se melhor e melhorar a qualidade do seu contato com o mundo ao seu redor, se também vê a arte e as danças como necessárias para uma vida plena, ou se apenas ficou curiosa (o), entre em contato comigo para agendarmos um conversa.